Brasil fecha agosto com aumento de pessoas desempregadas

Crise econômica afeta geração de empregos no país

A taxa de desemprego no Brasil atingiu em agosto sua maior marca desde 2009. Cerca de 7,6% estavam sem trabalho, ou seja, 1,9 milhões, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Há seis anos atrás, a marca tinha sido de 8,1%.

https://alinemoraess.files.wordpress.com/2011/11/carteira-de-trabalho1.jpg?w=1000

Criação de empregos despenca principalmente na grande São Paulo (Crédito – Divulgação)

O estudo do IBGE ainda mostrou que a taxa de 7,6% aumentou cerca de 52% em comparação com o mês de agosto do ano passado, que era de 5%. Outro indicativo mostra que é o 8° mês seguido que o número de desemprego continua a crescer. Já o PIB (Produto Interno Bruto) deve encolher 2,7% neste ano, desacelerando ainda mais a formação de trabalhos no país.

Seguro-desemprego e o empreendedorismo

Desemprego na Inglaterra tem menor nível desde 2007

Crise conduz a criação de micro-negócios

Parte deste reflexo da má situação econômica do Brasil já pode ser vista. O Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados anunciou que foram perdidos 86.543 postos de trabalho no mês de agosto.

Na capital de São Paulo, a expectativa é de desemprego próximo de 14% até o final do ano, afirmou o Dieese (Departamento Internacional de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Os dados oficiais são de 1,514 milhões de pessoas desempregadas em julho deste ano. Em comparação com setembro de 2014 – 1,169 milhões, o número cresceu 29,5%.

Marília Tereza, moradora da cidade há 16 anos, comentou sobre a dificuldade encontrada atualmente na busca de trabalho. “Você pode ver por ai que a crise está afetando todas as áreas. E quando lemos os jornais, as previsões não são nada animadoras”, disse Marília.

Dólar e a crise

A alta do Dólar, que atingiu seu maior valor da história, traz problemas para a geração de vagas, principalmente nos setores de combustíveis e lubrificantes. Nestes segmentos, foram criados 6.600 postos de trabalho, um aumento de apenas 1,8% nos últimos 12 meses. Os dados foram informados pelo CNC (Confederação Nacional de Comércio, Bens e Serviços).

O Dólar fechou a última sexta-feira em R$ 3,9757. Na terça-feira da mesma semana, sua marca foi de R$ 4,1461, sua cotação recorde.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s